fbpx

As Pessoas são Felizes nas Redes Sociais?

Já falamos algumas vezes sobre como a ansiedade afeta a população mundial, mas especialmente a população brasileira. No entanto, constantes pesquisas têm batido na mesma tecla: nossa população continua sofrendo de diversos transtornos e condutas prejudiciais à saúde mental, atingindo padrões preocupantes de infelicidade. 

Se de acordo com o IBGE 86,8% da população brasileira é cristã, por que sofremos tanto com essas coisas? O primeiro ponto, e o mais óbvio, é que temos uma população que vive de aparências. Se diz cristã, mas não vive o Cristianismo puro e simples. 

Porém, ainda existem outras variáveis: de acordo com o Relatório da Felicidade pelo Mundo1, o conceito de bem-estar mental e de felicidade estão ligados, também, aos níveis de corrupção, à situação financeira familiar, etc. Esse mesmo relatório aponta que existe um movimento mundial de infelicidade, em virtude do avanço das redes sociais. 

Muitos estudos e até o documentário O Dilema das Redes, da Netflix, corroboram essa mesma tendência de infelicidade nas redes sociais e sugerem que elas refletem, em grande parte, a avassaladora quantidade de conteúdos com expectativas irreais de padrões estéticos, de riqueza e até de felicidade. As redes sociais também são responsáveis pela viralização de conteúdos enganosos e sensacionalistas que causam desesperança, medo, ansiedade, indignação, raiva e solidão, resultando até na doutrinação de pessoas de acordo com os interesses de determinados grupos. 

É nesse mundo digital de trevas que precisamos levar a luz, trazendo conteúdos que reflitam o Antagonista de todas as coisas negativas, Aquele que pode trazer a verdadeira felicidade: Jesus! 

Querendo ou não, as redes sociais são uma realidade. Ao não ocuparmos esses locais, deixamos um espaço propício para a proliferação da maldade. Isso me faz lembrar das palavras de Martin Luther King: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons.” 

De que forma a sua igreja tem colaborado para levar Jesus e a mensagem de esperança e felicidade verdadeira para o ambiente digital?


O divórcio está entre as tendências digitais

Uma recente matéria reproduzida em um programa de televisão apresentado aos domingos por uma grande emissora brasileira acendeu a luz vermelha para um fato: pesquisas por divórcio no Brasil explodiram durante a quarentena.

Conforme dados reproduzidos pela reportagem, nos últimos 6 meses, a pesquisa por termos relacionados à divórcio aumentou mais de 5.000%, enquanto a busca pela frase “como entrar com um pedido de divórcio” cresceu 3.650%. A matéria também apontou que houve um aumento substancial de relatos de brigas domésticas, além de um crescimento de 16% no número de divórcios efetivados, se comparado o mês de julho/2019 e o mês de julho/2020.

Para uma emissora sem uma base cristã, a importância dada para este tema foi bastante relevante, e muito foi falado sobre como restaurar ou manter a saúde dos casamentos, demonstrando que mesmo no meio secular este tema está gerando preocupação.

Embora o casamento tenha se tornado para muitas pessoas um simples contrato, sabemos que o casamento faz parte do plano de Deus e que ele é extremamente importante para o desenvolvimento de uma sociedade saudável. Mesmo assim, temos visto que muitas pessoas não estão sabendo lidar com os desafios naturais de uma união matrimonial.

A falta de conselheiros experientes está fazendo com que essas pessoas tentem solucionar seus problemas conjugais adotando a solução aparentemente mais simples: descartar o que não está dando certo. O problema é que muitas vezes, esta solução tem consequências terríveis, que podem envolver filhos, finanças, outros familiares, bem-estar emocional, dentre outros.

Acreditamos que o nosso programa CV Outreach, em conjunto com muitas igrejas parceiras, está se colocando como um farol no meio de toda essa escuridão, e cremos que o impacto pode ser ainda maior.

Por isso, queremos aproveitar esta grande necessidade espirtual que está sendo evidenciada pelos desafios da quarentena para, em conjunto com ministérios e organizações parceiras, trabalharmos em prol da restauração de casamentos, mas principalmente da restauração de vidas.

O divórcio pode estar sendo uma tendência digital, mas temos a oportunidade de usar esta realidade preocupante para alcançarmos este mesmo público com o Evangelho transformador de Jesus Cristo.

Quer conhecer o CV Outreach e se tornar um parceiro?